Carlos Drummond de Andrade

” O último dia do tempo

não é o último dia de tudo.

Fica sempre uma franja de vida

Onde se sentam dois homens.

Um homem e seu contrário,

uma mulher é seu pé,

um corpo e sua memória,

um olho e seu brilho,

uma voz e seu eco,

e quem sabe até se Deus…”

Carlos Drummond de Andrade . Passagem de ano. A Rosa Do Povo. Círculo do Livro. São Paulo, 1945

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem. Veja.abril.com.br

Santarém, Pá 6 de março de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “Carlos Drummond de Andrade

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: