Das incompreensões sobre a vida

A vida é feita de incompreensões, de revolta dos desfavorecidos. Das revoltas, das intenções não realizadas. Dos direitos que outorgamos. Você já parou para imaginar, porque ninguém nunca ou quase nunca enxerga aquilo que somos ou que fazemos por elas?

É, a nossa história sempre foi construída em cima de pequenas fragmentações. Das promessas, de perguntas e resposts que temos e as que nunca teremos. Às vezes olho pra menina lá atrás e a vejo corcunda. Ela anda em passos lentos, vez ou outra, ‘olha mais pra trás ainda’, como se esperasse alguma coisa do passado. É inútil ter compaixão daquilo que não podemos trazer na bagagem. Essa ” fragilidade ” que por vezes sentimos é só uma forma da gente olhar pra vida e saber que em cada lugar ficou um pedacinho de nós. A verdade é que as nossas edições anteriores, são apenas reeditadas, e a gente morre lentamente nesse trajeto.

Algumas pessoas sabem disso, outros não. Mas, a vida faz com que recebemos uns trancos de frente, ou de um jeito atravessado. A nossa missão é saber interpretar isso, e nunca discutir com ela a respeito daquilo que não podemos enxergar com clareza . O ” não “, é apenas isso, uma resposta negada, e vou dizer uma coisa pra você: esteja certo que na vida, irás receber muitos deles.

A nossa dor existencial vem dessa incompreensão. Talvez, dos absurdos por não querer aceitar o que a vida quer nos retirar. Aí, na tentativa de não perder, a gente puxa naquele gesto brusco, como se isso fosse resolver. Bobagem, não se pode ter para si, o que a vida não dá. O que temos que fazer é nos tornar menos dramáticos.

Nessa ” inda e vida”, todo mundo passa por todo mundo. Os sentimentos às vezes se esbarra um no outro. Se nenhuma parte do corpo ficar roxa, não tiver dor, continue. Agora, se você flagrar reações contundentes, como a vontade de chorar por saber que nesse ato se esbarra resultou um arranhão dolorido, e que não cicatrizar com soluções simples, entenda uma coisa: você irá fazer uma coleção deles a vida toda. Todavia, não diminua o passo por causa disso. O certo é que de alguma forma, fortalecemos a nossa estrutura com eles.

Vamos continue!

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. Flickr

Santarém, 2 de fevereiro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: