Trair ou não trair? Eis a questão

A traição não é uma atitude sensata da parte de quem diz amar. O correto seria, se aquele que trai, já que não é honesto com a pessoa que ama, ou ‘as pessoas’, sim porque neste caso, pode envolver mais de uma, fosse honesto consigo, e optasse pela separação.

Uma vez conversando com uma amiga, ela disse o seguinte: ” a mulher que descobre uma traição, e se vinga traindo o marido ou o namorado é burra”. Eu confesso que fiquei curiosa, perguntei por quê? Claro, queria entender o que ela pensava a respeito da traição. Ela respondeu novamente: uma mulher não deve pagar na mesma moeda se foi vítima de uma traição. Mas, trabalhar e procurar ser independente em tudo. Neste caso, o homem a respeita”.

Eu confesso que fiquei por alguns segundos digerindo aquela forma de pensar, e por conta dessa colocação, pude observar dois erros que nascem desse tipo de pensamento. Primeiro, a mulher que ” se vinga”, já que a traição feminina é vista como uma espécie de vingança perante a traição masculina, ela se machuca duas vezes. Ao agir dessa forma, ela só quer dizer o seguinte: ” aqui, quitamos a nossa divida”. Mas, eu pergunto novamente: o elo que foi quebrado, a confiança que foi desfeita por conta de um contrato entre duas partes, sim o homem e a mulher ao se comprometer um perante aooutro, digo de validar o sentimento, e procurar agir de forma leal, tendo atitudes honestas, dentre tantas questões que se referem a relacionamento, eles terão que sobreviver aos desgastes […]. Se esse relacionamento fica maculado, por conta de briga ou desentendimento, onde se observa que não ouve nenhum esforço para consertar as atitudes desonestas Que nasceram por algum motivo, compreende -se que essas pessoas, não entenderam nada a respeito de amor. Se tudo o que fazem é agir de maneira inconsequente, vale dizer que aquele vínculo que foi dilacerado não lhes trouxe nenhum ensinamento. E mais, esperar melhorar agindo de forma errada [também ], é ferir a si mesmo duas vezes. Isso é autoengano. É uma mentira que você opta por viver pela segunda vez, para curar uma dor interior. A traição é um sofrimento interno que não melhora de forma instantânea. Às vezes leva anos para você se recuperar.

A traição seja para a mulher ou para o homem, é igual em relação a ambas as partes, ou seja, não consertar absolutamente, nada. É inútil, porque é uma ferida que cresce e sangra por dentro. Não tem como estancar a sensação da perda. E o segundo ponto é, ainda que essa mulher diga a ela mesma ” ok”, eu vou trabalhar, ser uma pessoa diferente, não quero depender de homem pra nada, nem mesmo para dizer como devo administrar os meus sentimentos […] serei uma pessoa forte, segura “dona do meu nariz”. Veja, eu não estou sendo contra a melhora de ninguém. Só que não pode existir dentro desse pensamento, o radicalismo. Não é porque uma história de amor não aconteceu como a pessoa gostaria que ela vai ” se fechar para o mundo”, digo para novas relações.

A maioria das pessoas ao terminar um relacionamento por conta de uma traição, elas deixam de acreditar em si. O que é um erro, porque o que falta, é elas deixarem essa coisa negativa no passado, e não trazer para o presente ‘achando’ que todo mundo vai agir dessa forma. Não vai. Na vida, elas também irão encontra pessoas honestas, dispostas a viver uma história verdadeira. Isso é interessante, porque as deixam confiantes.

O que uma mulher segura deve considerar é o seguinte: a traição sempre vai existir, independentemente, de você procurar corrigir as falhas. O fato de você procurar ser amiga, amante, companheira, boa mãe, a executiva ‘ x ‘ da multinacional ” Pasárgada” ajuda. Porém, não são essas coisas que definem nada o bem-estar do seu relacionamento. Não é esse detalhe que define se você vai sofrer ou não. Eu quero dizer que nenhum relacionamento é um processo seguro. As vontades não funcionam de modo automático. Não, você constrói. Agora, o que determina muita coisa é a sua postura. Eu quero um relacionamento verdadeiro, eu vou ser honesto. Caso não consiga, vou viver de forma inconsequente.

Uma coisa que interessante que você mulher tem que fazer é acreditar em si. Não queira idealizar uma relacionamento sem problemas porque isso é infantilidade. O mundo ” cor -de-rosa”, é algo que as nossas mães tecem com o objetivo de preservar a nossa inocência. O correto seria, elas nos ensinar desde pequenas, que o mundo real, ele tem além das delícias, os dissabores[…]. A traição nem sempre é uma falta nossa, mas do caráter é das necessidades do outro. É uma ação individual. A traição, ela faz parte da lista das necessidades humanas. Não adianta você querer justificar esse erro, por conta do caráter. Quantas vezes não ouvimos coisas como ” Ah, mas foi falta de caráter!..”. Ledo engano, porque as razões são inúmeras. Da mesma forma, não se pode dizer que isso acontece por conta de uma questão cultural. Eu entendo que cada caso, tem a sua particularidade. Não é porque alguém toma veneno e se sente bem, que vai receitar para outro ingerir esperando que este, surta o mesmo efeito. Isdo é ilusão.

Quando você pensar em construir uma relação com uma pessoa que você entende que ela tem as qualidade que você aprecia, seja honesto consigo, só após isso, você terá capacidade de ser honesto com ela. Entenda, eu não estou querendo mudar nenhuma regra sobre relacionamento. Eu não estou dizendo o que certo ou errado, até porque se tem uma leve noção disso. De repente, o que certo pra mim, não é pra você. Não acha? Eu estou falando a respeito de uma situação, onde você tem que cuidar de si é do outro. É isso mesmo, se ame ao ponto de não cometer erros [ainda], maiores do que aqueles que fizeram com você. Quer conhecer uma pessoa especial? Ótimo. Primeiro se recupere dos solavancos da vida, depois digo, num segundo momento ‘ eu estou preparada’. É isso que quero que entenda. Se permita conhecer essa pessoa. E na medida do possível, tente não errar com você e com ela.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. Oh So Perfect Proposals & Engagement Rings

Santarém, Pá 22 de janeiro de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “Trair ou não trair? Eis a questão

    1. Miau, é tão profunda essa resposta. Eu acredito que cada pessoa sabe, conhece a qualidade da relação que vive. Tem quem viva um amor verdadeiro ( ao menos na cabeça da pessoa), mas o outro lado, não. Então, neste caso, não adianta eu amar se o outro não ama. Se falta essa característica principal que considero que é a empatia, quer dizer você pode viver uma relação que tenha tudo, menos amor, não ” vinga”.
      Imagem detalhe que considero importante é a pessoa ter caráter, não que ele seja capaz de blindar uma relação, mas ajuda. A medida que você não decide trair […], havendo todas as lacunas, vamos dizer assim, existe uma chance dessa relação durar um período um pouco maior, porque o fato de não trair, parte de uma decisão pessoal. Se entendo que o que recebo, ainda me faz manter pelo o outro, o sentimento de respeito, lealdade e cuidado, certamente, por mais que eu me sinta tentada a fazer isso, me seguro. Agora, tem muita relação por aí que é só uma pessoa que vive…nao tem como!..
      Há tantas justificativas para se trabalhar numa traição. Cada caso é um caso, portanto, vamos considerar a particularidade que nasce deles. Eu não posso generalizar e jogar isso para o mesmo lugar que todos jogam. Tem quem diga que é caráter. Conta, no meu entender ele conta bastante. Mas assim como, todas as necessidades humanas, a traição é faz parte desse rol, infelizmente. Não é um fator, são vários. Quanto a pergunta, sim…houve esse ” espaço “. Se foi livre, digo partiu das duas partes…

      Curtir

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: