Cecília Meireles

“Já chega um próprio de longe:

Já chega um próprio a cavalo,

por entre nuvens de poeira

e montanhas de cascalho,

e a negrada que se volve

de almocafres levantados,

e a algazarra de protesto

dos grandes cães alarmados,

Sob o espanto dos tropeiros,

e a alegria dos vassalos

que esperam novas da Vila.

Chega e apeia-se de um salto.

À porta de João Fernandes,

para, em demanda do Conde.

Sacode o chapéu e as botas,

conta mentira de longe,

enquanto o cavalo bebe,

na água, as nuvens do horizonte.

Que novas serão chegadas?

Que novas traz aquele homem?

O Conde a andar pela sala,

com um fundo sulco na fronte.

Soam-lhe os passos nas tábuas

como passadas de bronze.

Mas, entre as doze mulatas

que servem, resmunga a Chica:

” Oxalá não traga o próprio

más novidades da Vila.

Tenha o coração parado

como se fosse viva.

Que este maroto, do Reino

ao Tejuco, não viria,

senão por algum segredo,

Por alguma fina intriga.

Vamos a ver se minha alma

fala verdade ou mentira”.

Cecília Meireles. Romance XVI ou Da traição do Conde. Romanceiro Da Inconfidência. Organização: André Seffrin. 13 ed. Global. São Paulo, 2015

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. Baduka Oficial. Casa dos Contos.

Santarém, Pá 18 de dezembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: