Florbela Espanca

Até agora eu não me conhecia,

julgava que era Eu e eu não era

Aquela que em meus versos descrevera

Tão clara como a fonte e como o dia.

Mas que eu não era Eu não o sabia

E, mesmo que p soubesse, o não dissera…

Os olhos fitos em rútilos quimera

Andava através de mim…e não me via!

Andava a procurar-me – pobre louca!

E achei o meu olhar no teu olhar,

E a minha boca sobre a tua boca!

E esta ânsia de viver, que nada acalma,

E a chama da tua alma a esbrasear

As apagadas cinzas da minha alma!

Florbela Espanca. Eu.

Poesia de Florbela Espanca. Vol 2. Livro de Soror saudade, Charneca em flor, Reliquae. Coleção L&PMCLASSICOSMODERNOS. Porto Alegre, 2018

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. plus.google. com

Santarém, Pá 11 de dezembro 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Florbela Espanca

  1. I love this poet! I read some of her poems, 15+ years ago, and she impressed me a lot, so that I remember her name after so much time. Thank you! Greetings from Romania. I understand Portuguese, because I speak Romanian, Spanish and French.

    Curtido por 1 pessoa

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: