Florbela Espanca

Horas profundas, lentas e caladas

Feitas de beijos rubros e ardentes,

De noites de volúpia, noite quentes

Onde há risos de virgens desmaiadas…

Oiço olarias em flor às gargalhadas…

Tombam astros em fogo, astros dementes,

E do luar os beijos languescentes

São pedaços de prata p’las estradas…

Os meus lábios são brancos como lagos…

Os meus braços são leves como afagos,

Vestiu-os o luar de sedas puras…

Sou chama e neve e branca e mist’riosa…

E sou, talvez, na noite voluptuosa,

Ó meu Poeta, o beijo que procuras!

Florbela Espanca. Horas Rubras. Vol 2. Livro de Soror saudade, Charneca em flor é Reliquiae. Porto Alegre: L & PM, 2018

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Portugal/ hardsadness

Santarém, Pá 9 de dezembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: