Bater ou não bater

” Bater ou não bater, eis a questão. “

Qual é a posição daqueles que batem? Para eles, a violência física educa uma criança? Bater nunca educou ninguém. No máximo, a criança que apanhou, aprendeu que o limite para qualquer coisa na vida é o medo. A estratégia usada para ensinar isso foi a dor, não a razão.
Bater de fato, não esclarece as nossas dúvidas. Na verdade, esse método não nos ensina de maneira coerente a forma que devemos agir, principalmente diante daquilo que não sabemos como lidar. A dor neste caso, provoca a rejeição, porém, não nos mostra a melhora.
Tem crianças com comportamentos hiperativos, onde os pais não conseguindo identificar tal detalhe, também não sabe compreender a posição da criança diante de uma situação. Esses pais, não sabem lidar com seus filhos. Batem para corrigir. Pega pela mão e explicar o porquê de uma criança não concretizar uma ação, a maioria não faz. É natural que primeiro, essa criança seja punida, geralmente pelo castigo físico ( surra) e depois o aviso : ‘ se fizer de novo, apanha!”. É errado corrigir a criança? Não, mas corrigir através de outros métodos. Ora, imagine, como fica uma família por exemplo, onde os pais não compreendem a forma de agir do filho? Sim, porque tem alguns que usam métodos cruéis de correção, coisas como fio elétrico, pedaços de pau, borrachas. E aí a criança fica cheia de hematomas pelo corpo? Se educa alguém assim? O antídoto contra essa não interpretação de diálogo entre pais e filhos funciona? E aí você me responde, funciona.
Sem dúvida, eu também acredito que funciona. Você tem um adulto com um objeto nas mãos, uma criança em situação de desvantagem. Claro que funciona. Covardia! A medida que a criança cresce, ela vai usar outros métodos para educar os seus filhos ou vai reproduzir o que aprendeu na infância?
Pense nisso e me responda?

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Quebrando o Tabu

Santarém, Pá 26 de novembro de 2020


Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

%d blogueiros gostam disto: