Carlos Drummond de Andrade

[…]

Tão estranho crescer, adolescer

com alma antiga, carregar coisas

que não se deixam carregar.

A indelével casa me habitando, impondo

sua lei de defesa contra o tempo.

Sou o corredor, sou o telhado

sobre a estrebaria sem cavalos mais nitrindo

casa de Fazenda na cidade,

o pasto, ao Norte; ao Sul, quarto de arreios,

É esse ar de café rolando em grão

na palma de sua mão – o pai é a sua casa,

e a casa não é mais, nem sou a casa térrea,

terrestre, contigente,

suposta habitação de um eu moderno.

Rua Silva Jardim, ou silvo em mim?

Carlos Drummond de Andrade. A Casa sem Raiz⁴¹

Literatura Comentada. Nova Cultural Textos publicados sob licença de Pedro Augusto G. Drummond. São Paulo, 1990

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. PPath Rus/ Minas

Santarém, Pá 5 de novembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: