Graciliano Ramos

Falo somente com p que falo:

com as mesmas vinte palavras

girando ao redor do sol

que as limpa do que é não é faca:

de toda uma crosta viscosa,

resto de jantar abaianada,

que fica na lâmina e cega

seu gosto da cicatriz clara.

***

Falo somente do que falo:

do seco e de suas paisagens,

Nordestes, debaixo de um sol

ali do mais quente vinagre:

que reduz tudo ao espinhaço,

crosta o simplesmente folhagem,

folha prolixa, folharada,

onde possa esconder-se na fraude.

***

Falo somente por quem falo:

por quem existe nesses climas

condicionados pelo sol,

pelo gavião e outras rapinas:

e onde estão os solos inertes

de tantas condições caatinga

em que só cabe cultivar

o que é sinônimo da míngua.

***

Falo somente para quem falo:

quem padece sono de morto

e precisa um despertador

acre, como o sol sobre o olho:

quem é quando o sol é estridente,

a contrapelejo, imperioso,

e bate nas pálpebras como

se bate porta a sacos. ¹

Graciliano Ramos “A Paloma seco” homenagem de João Cabral. Para amar Graciliano. Como descobrir e apreciar os aspectos mais inovadores de sua obra/ Ivan Marques. 1ed. Faro Editorial. Barueri, 2017

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. Lu Tavares on Instagram

Santarém, Pá 19 de outubro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: