Álvares de Azevedo

” Meu pobre leito! eu amo-te contudo!

Aqui levei sonhando noites belas:

As longas horas olvidei libando

Ardentes gotas de licor dourado,

Esqueci-as no fumo, na leitura

Das páginas lascivas do romance…

Meu leite juvenil, da minha vida

És a página de ouro. Em teu asilo

Eu sonho- me poeta, e sou ditoso,

E a mente errante devaneia em mundos

Que esmalte a fantasia! Oh, quantas

Do levante no sol entre odaliscas

Momentos não passei que valem vidas!

Quanta música ouvi que me encantava!

Quantas virgens amei! que Margaridas,

Que Elviras saudosas e Clarissas,

Mais trêmulo que Faust, eu não beijava,

Mais feliz que Dom Juam e Lovelace

Não apertei ao peito desmaiado!

Ó meus sonhos de amor e mocidade,

Por que ser tão formosos, se devíeis

Me abandonar tão cedo…e eu acordava

Arquejando a beijar meu travesseiro?

Álvares de Azevedo. Ideias íntimas. X ( Álvares de Azevedo, cit. p.31-8) – Literatura brasileira: William Cereja e Thereza Cochar. São Paulo, 2013

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: google. SlideShare

Santarém, Pá 9 de outubro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: