Pablo Neruda

Não compreendi que ele era eu,

que éramos um sobrevivente a mais

entre outros de perto ou daqui,

outros de linhagens iguais enterrados

com as mãos sujas de areia,

nascendo sempre em qualquer parte,

dispostos a um trabalho interminável.

Pablo Neruda em: Ultimos poemas. Edição bilíngue ( O mar e os sinos). Tradução: Luiz de Miranda. L& PMclassicosmodernos. Porto Alegre, 2018

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. Everything you desire

Santarém, Pá 29 de setembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: