Janelas

Quando decidi ficar ali parada

Era porque havia um motivo nobre:

Queria abrir todas as janelas e voar,

Voar silenciosa…

Não se sente os passos

Quando os caminhos estão ausentes,

Só o tempo esfarelando

No avesso da noite.

Nele andam as carícias vaporosas

Os corações palpitantes!

Saudade infinita,

De acharme-me aonde me perdi ..

Minha casa,

Permanece vazia.

Não tenho pão

Nunca vi o Mar

Mas dizem que as gaivotas fazem festas na solidão da noite.

Digo aos meus anseios,

Sonhe mais alto, e rasgue as janelas da alma

Levante aos céus os teus olhos,

É de lá que vem a constelação de teus beijos.

Não queira a vida como esmola,

Quebre o silêncio dos teus claustros,

Tece um sonho, outro e outro…

Acompanhe o movimento deles

É no íntimo que o melhor acontece.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Bored Panda

Santarém, Pá 23 de setembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: