Emily Brontë

Tenho que me lembrar de respirar, tenho quase que lembrar meu coração de bater! Vivo como se me impulsionasse uma mola endurecida: é constrangido que realizo o ato mais insignificante, desde que esse ato não dependa daquele pensamento único; é constrangido que reparo em qualquer coisa viva ou morta, se ela não está associada à ideia que é para mim universal. Um único desejo alimento, é todo o meu corpo, todas as minhas faculdades anseiam por antingi- lo, vêm ansiado por isso há tanto tempo, e tão inflexivelmente, que estou convencido é que esse desejo será satisfeito, é em breve, porque já dormiu minha existência.

Emily Brontë em :

http://www.Pensador.com

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. Escolha Viajar

Santarém, Pá 21 de setembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: