Florbela Espanca

Fui Essa que nas ruas esmolou

E fui a que habitou Paços Reais;

No mármore de curvas ogivais

Fui Essa que as mãos pálidas poisou…

Tanto poeta em versos me cantou!

Fiei o linho à porta dos casais…

Fui descobrir a Índia e nunca mais

Voltei! Fui essa nau que não voltou…

Tenho o perfil moreno, lusitano,

E os olhos verdes, cor do verde Oceano,

Serei que nasceu de navegantes…

Tudo em cinzentas brumas se dilui…

Ah, quem me dera ser Essas que eu fui,

As que me lembro de ter sido…dantes!…

Florbela Espanca. Lembrança. V.2/ Florbela d’alma da Conceição Lobo Fonseca. Porto Alegre: L& PM, 2018

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: arquivo pessoal

Santarém, Pá 11 de setembro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: