Exceção

O que me mata não é o cotidiano.

O que me mata é a pouca entrega de vida que há no cotidiano.

Eu não sobreviveria somente as exceções- os sopros de vida.

Eu preciso dos campos estéreis

Preciso investigar

Cavucar

Ser capaz de extrair aquilo que será o meu prêmio.

Preciso procurar a fundo

Me decifrar

O mérito? Só depois de aplaudir a minha própria coragem, ter aconsciência satisfeita.

Não sou ‘Clarice’

Sou Maria que anda comigo mesma.

Conheço o significado da palavra resiliência

Tenho paixão pela vida, e acho que ela é um prêmio. Por isso, antes do ” orvalho “, é necessário

Ter sabedoria para lidar com as injustiças, a falta de tolerância, falta de afetividade…

Quero sobreviver a todos os tempos imperfeitos, e no fim criticar o que deixei de fazer, os projetos, as paranóias, as flores com quem deixei de conversar…

O pódio é o lugar que todos desejam chegar.

Mas, culpa e raiva nos afastam dele. Portanto, só quem nos leva ao seu encontro são as nossas verdadeiras necessidades.

E isso, só uma pequeniníssima maioria consegue chegar até ele.

Por último, o sentimento que nos deixa atônitos, o amor. Só ele entende a nossa alma maltrapilha…

Vistes? A regra é exceção!

Não culpe a vida, nem mendigue o seu encanto, faça acontecer.

Marii Freire Pereira

Imagem: Pinterest. Se Heart lt

Santarém, Pá 28 de agosto 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Exceção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: