” Quem é o pai da criança ?”

Eu vou falar de uma coisa chata, porém séria para todos nós que escrevemos. É uma ação que trata da ética profissional. Isso é algo que devemos ter muito cuidado porque algumas vezes, acontece que se gosta de um trabalho de um determinado autor e deseja-se levar aquilo para nós. Acontece que talvez, pela falta de conhecimento, levamos e não colocarmos os créditos originais. O nome disse é plágio. Já em outros casos, existem pessoas que costumam agir com má-fé mesmo, ou seja, pega um texto, dois parágrafos inteiros que seja, sem modificar e coloca como se fosse seu. Cadê os créditos originais? Não pode.

Eu mesma já passei por uma situação vexatória aqui. Certa vez, eu peguei uma imagem de um colega, com o devido conhecimento dele, porém eu trouxe essa imagem sem a sua permissão, que foi o meu erro. Mas, eu assumi isso publicamente para todos. Me descupei e retirei isso da minha página. Claro, eu sou formada em Direito, não é que eu não tivesse conhecimento. Todavia, o meu erro foi não esperar a devida resposta dessa pessoa, até porque eu não sabia o momento em que ela iria postar, permitir ou não. Todavia, corrigi o meu erro.

O que quero dizer a todos, e isso não vale para a maioria, pois muitos sabem, mas os que não sabem ou ignoram é que, ao achar interessante o trabalho de um colega, você pega, mas cita a fonte. Veja, as minhas publicações geralmente têm dois endereços. O primeiro faz ” jus” ao lugar de onde, eu estou retirando aquele trabalho. E o segundo é o meu, porque estou colocando aquele texto dentro da minha página. Neste caso, estou agindo legalmente.

[…]

Algumas postagens simplesmente, não tem o primeiro endereço, porque eu escrevo a partir dos livros que tenho. Então, tem Editora e ano, e o meu site. Mas, o crédito do trabalho está inserido devidamente como deve ser.

Fique atento! porque é muito importante prestar atenção nessas regras. Da mesma forma que, você senta, tira um tempo para escrever, você deseja no mínimo que a pessoa que pegue um trabalho seu, reconheça o valor do que você faz. Você pode sim, pegar o trabalho de alguém, ler e com base nele, escrever o seu. O que não pode é pegar o trabalho de alguém e assinar embaixo como se fosse seu. E todos as vezes que compartilhar, deve inserir os créditos devidamente.

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Google/ blog scielo.org

Santarém, Pá 7 de agosto de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “” Quem é o pai da criança ?”

    1. Sem dúvida, Nicole! Essa situação ligada ao plágio é muito sério. Quando se detecta isso em relação ao trabalho de uma pessoa, ou seja, quando alguém assume uma autoria , entende -se que houve a violação de um direito autoral. Como eu disse no texto, é uma prática bastante comum, portanto, é necessário ficar atento para não cometer esse tipo de erro, porque você responde judicialmente por ele.
      Aqui no Brasil, tem uma lei que corresponde a esse tipo de crime, é a Lei n° – 9.610/ 1988 do Código Brasileiro Penal. Mas, é interessante também ficar atento para alguns artigos que acabam fazendo referência ao assunto. Cada caso, existe uma especificação. O ideal é ficar atento mesmo.

      Marii.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: