Joaquim Manuel Macedo

(…)

Como de costume, a tarde teve de ser empregada em passeios à borda do mar e pelo Jardim. O maior inimigo do amor é a civilidade. Augusto o sentiu, tendo de oferecer o braço à senhorita, D. Ana: mas está lhe fez cair a sopa no mel, rogando- lhe que o reservarsse para sua Neto.

(…)

Em uma das ruas do Jardim duas rolinhas mariscavam: mas, ao sentirem passos, voaram e pousaram não muito longe, em um arbusto, começaram a se beijar com ternura: e esta cena se passava aos olhos de Augusto é Carolina!..

Igual pensamento, talvez, brilhou em ambas aquelas almas, porque os olhares da menina e do moço se encontraram ao mesmo tempo e os olhos da virgem modestamente se abaixaram e em suas faces se apontaram para ambos, disse:

_ Eles se ama!

E a menina murmurou apenas são felizes…”

Joaquim Manuel de Macedo. A Moreninha. páginas 140 e 141. São Paulo, FTD, 1991

( Joaquimmanuel.comunidade.net)

Marii Freire Pereira

Imagem: Marii Freire

Santarém, Pá 29 de junho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Joaquim Manuel Macedo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: