Álvaro de Campos

Nunca conheci quem tivesse levado

porrada.

Todos os meus conhecidos têm sido

campeões em tudo.

E eu tantas vezes reles, tanta vezes porco,

tantas vezes vil,

Eu tantas vezes irresponsavelmente

parasita,

Indesculpávelmente sujo,

Eu, que tantas vezes não tenho tido

paciência para tomar banho,

Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo,

absurdo,

Que tenho enrolado os pés publicamente

nos tapetes das

etiquetas,

Que tenho sido grotesco, mesquinho,

submisso e arrogante (…)

Eu, que tenho sofrido a angústia das

pequenas coisas ridículas,

Eu verifico que não tenho par nisto tudo

neste mundo.

Álvaro de Campos ( Fernando Pessoa). Poema em linha reta

Culturagenial.com

Marii Freire Pereira

VEM comigo!

Imagem: Instagram. itchy. feet7. Porto

Santarém, Pá 25 de junho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: