Manuel Bandeira

” O que eu adoro em tua natureza,

Não é o profundo instinto maternal

Em teu floco aberto como uma ferida.

Nem a tua pureza. Nem a tua impureza.

O que eu adoro em ti – lastima-me e

[ consola- me!

O que eu adoro em ti, é a vida.”

( ” Madrigal melancólico “. 3strela da vida inteira, cit, p.90)

Literatura brasileira: William Cereja e Thereza Cochar. Atual, 2013

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Imagem: Pinterest. Rafael Augusto Gomes.

Santarém, Santarém, 24 de junho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Manuel Bandeira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: