Amor é um sentimento que se constrói

Nada mais gostoso do que a sensação de estarmos amando, não é? Quem não gosta daquela sensação de palpitação, garganta fechada, mãos geladas, boca seca? Tudo isso é muito bom. Mas o que se percebe é que é “mais fácil falar de amor, do que viver o amor. Viver a reciprocidade, as preocupações, o prazer, os pensamentos bons que se tem a medida em que o amor vai amadurecendo.

” Amor é um sentimento que aos poucos, vamos construindo…”

O amor é um sentimento que se constrói. Mas, constrói de forma consciente. Ele não acontece da noite para o dia. Antes de mais nada, precisa viver o processo de lapidação. Ele precisa sair da superfície e ganhar profundidade. Passar pelas turbulências, pelas faltas, renúncia, pela velocidade que não deve ser exagerada. Tudo isso é importante, porque só através desses mecanismos, podemos conhecer o outro.

” Amor passa pelo cuidado “

O amor passa pelo cuidado, pela organização do pensamento, pela maneira de como você trata a pessoa que lhe é especial. Amor é mais, o amor é aquilo que se encontra na profundidade, é como se diz: ‘é quando você se disponibiliza viver lado a lado’. Não do lado, mas naquela troca paralela, onde se percebe que existe a vontade de agregar, de viver os medos, os prazeres, as dores e as delícias de uma relação. Amor é quando você compreende que, apesar dos dissabores, vale a pena viver todos os desafios ao lado de que se ama. Isso é fundamental numa relação para que ela possa se tornar bem-sucedida. Acredito que não adianta enfeitar, dramatizar muito, se no fundo, não se percebe no casal, o sinal de maturidade que é principalmente, o desejo de querer participar da vida um do outro. Se aquilo é uma relação baseada somente no prazer pessoal, quando este acaba, cada um vai para o seu lado.

[…]

É que se nota em muitos casos. A maioria das pessoas se envolvem para superar um momento de carência, frustação por uma perda. Perdeu alguém, ah!..’vou investir em outra’. Não, é dessa forma. Claro que, a vida precisa prosseguir. Mas, ao fazer isso, você só troca de passoa (…), O problema de não saber administrar uma relação vai só ganhando volume. E isso, às vezes se prolonga uma vida inteira. Há pessoas que se acostumam viver esse tipo de coisa, porque ela acha que o problema não é dela e sim do parceiro. Pode ocorrer nos dois casos, claro. Mas, talvez por um gesto de imaturidade, a pessoa nunca queira se corrigir. Às vezes, um bom diálogo franco resolve a situação. Há casos e casos, que os casais conseguem superar as dificuldades a partir de uma mudança de atitude.

Todavia, há outras relações que começam assim, a pessoa entra num relacionamento, e passado duas semanas, (período onde já se estabeleceu alguma confiança), ali entre um encontro e outro, ela acredita ter encontrado o amor de sua vida. No início, em nada discorda. Acha aquele relacionamento é a coisa mais linda que existe. Mas é raso. Ela só se dará conta que agiu de um jeito imaturo, lá na frente. Quando começar perceber os problemas, querendo ou não resolver os conflitos, ela faz o que? Vai saindo, vai se esquivando, deixando o peso da responsabilidade para quem fica. É o que acontece em muitas relações. No início, o que ocorre é o encantamento da paixão. A paixão costuma ser avassaladora, depois que passa a fase intensa, é que se contabiliza aquilo que sobra, ou seja, agrega algum valor. O amor não. O amor não recua diante das perdas.

O amor supera a euforia do momento. Ele só pode ser construído a partir de um choque de lucidez, onde ninguém impõe obstáculos, ou mesmo, necessidade doentia, peso sobre o outro. Amor não pesa, não há desproporcionalidade, orgulho, limitações doentias. O amor é o encontro entre duas pessoas que não se divide pela estranheza, mas soma pela forma paralela de superar os seus traumas. No amor tudo é construído a partir do autodiálogo, o que permite haver coerência no falar , no tratar um com o outro. Eu gosto de uma frase do poeta mineiro, Carlos Drummond de Andrade, onde ele diz que “o amor é coisa de maduros” , porque só o alcançamos na última ratio.

[…]

Mais que beijos, mais que toques, pele, saliva, lascívia, devaneios, loucura, paixão, o fato de ter uma pessoa conosco, significa que nós, enquanto seres humanos, temos autossuficiência e inteligência para cuidar dela com amor, respeito, afeto, reciprocidade. Se tem uma palavra que define bem o amor, essa palavra é reciprocidade, é isso que movimento a vida.

” O amor eleva a autoestima ”

O amor não busca perfeição. Ele vive só pra si, por isso busca pessoas que estejam dispostos a emanar vida. Pessoas que mesmo errando, são capazes de assumir suas falhas no sentido de melhorar e aproveitar aquilo que podem viver lá na frente. O amor não pára no tempo, não faz comparações. O amor contorna os lábios, abre um belo sorriso, abraça com palavras a quem escolhe. Amar é antes de mais nada, permite-se (…) ser confiante diante daquilo que nos alegra.

Marii Freire Pereira

Imagem: Pinterest

Santarém, Pá 9 de junho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

4 comentários em “Amor é um sentimento que se constrói

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: