Gregório de Matos

Ardor em firme coração nascido!

Pranto por belos olhos derramado!

Incêndio em mares de água disfarçado!

Rio de neve em fogo convertido!

Tu, que em um peito abrasas escondido:

Tu, que em um rosto corres desatado,

Quando fogo em cristais aprisionado,

Quando cristal em chamas derretido.

Se és fogo como passas brandamente?

Se és neve, como queimas com porfia?

Mas ai, que andou Amar em ti prudente.

Pois para temperar a tirania,

Como quis, que aqui fosse a neve ardente,

Permitiu parecesse a chama fria.

( In: Luiz Roncari. Literatura brasileira – Dos primeiros cronistas aos últimos românticos. 2 ed. São Paulo: Edusp, 1995. p. 129)

Literatura brasileira: William Cereja e Thereza Cochar, 2013

Marii Freire Pereira

VEM comigo!

Imagem: Pinterest, As muitas cores do Pelourinho

Santarém, Pá 6 de junho de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

2 comentários em “Gregório de Matos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: