Acreditar em você mesmo

” Acreditar em você mesmo é, produzir sentimentos vitais, é saber que apesar de todas as preocupações, existe algo que comove, que chama, exige e nos impulsiona a fazer diferente”.

Marii Freire Pereira.

Acredite em você, acredite na sua capacidade. Toda pessoa sábia, ela compreende que, aquilo que perturba, na verdade, funciona como mola propulsora que ao mesmo tempo, nos lança ao extremo (fazendo com que nos esvaziemos de nossos excessos), assim como, no meio de toda essa provocação, se tenha a capacidade de produzir respostas que nos comove, e nos lança em direção ao que se deseja. Essa é a grande sacada da vida! De modo geral, diz-se: usar o raciocínio para produzir, mas produzir da maneira correta. Como da maneira correta? Sendo solo fértil.

[…]

A nossa imaginação tem uma força incrível. Quer um exemplo? Ainda que as pessoas digam que você não é capaz, se no seu íntimo, digo ali, na intimidade mais preciosa, onde ninguém pode alcançar, a não ser você, se acreditares que é capaz, ‘ah!… não tem que te segure”. Você supera qualquer obstáculo, questionamento, desaprovação de pessoas, tudo. Você só ouve a si mesmo. Isso é bom, gratificante, porque aquilo que lhe parece inacessível, torna-se um objeto de dedicação. E acredite: todas nossas contradições ” conscientizadas”, elas não são objetos de descanso, pelo contrário nos faz refletir, porque o intuito do ser humano, é sempre buscar resultados, ou seja, buscar respostas.

Reflexivamente quando modificada a nossa maneira de pensar, nos libertarmos daquilo que nos domina. É no meio desse crescimento áspero que vamos ganhando impulso para sermos livres, donos de nós mesmos, digamos que a partir disso, nos tornamos seres humanos capacitados para vida, porque dentre outras coisas, somos capazes de tecer críticas e não viver alienados a um modelo onde tudo nos é imposto.

É verdade que a sociedade nos coloca muito essa questão de vivermos de forma fechada, às vezes, com uma visão reduzida, meditando, mais do que questionando. Querendo alcançar a condição de ser livre dentro de uma pseuda- liberdade, porque vivi-se pautado numa liberdade ingênua, onde você não tem condição intelectual de decidir, por conta muitas vezes de uma visão reduzida. Isso é errado, porque conscientizar é politizar. Creio que só nos tornamos realmente capazes quando superamos todas as nossas barreiras…quer seja, o mínimo, quer seja o máximo.

Às vezes, o nosso maior problema é concentrar numa visão acomodada, e esperar que aconteça um milagre divino, quando na verdade, o compromisso é nosso. Na verdade, é um ‘dever meu e seu’. Querendo ou não, temos o compromisso, bem como, a a capacidade de preencher qualquer lacuna. A ação do outro, só serve para vir até nós, quando isso servir como forma de complemento. Nós enquanto homens e mulheres, devemos buscar a verdadeira conscientização para saber questionar as contradições do mundo comum.

Marii Freire Pereira

Imagem: Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 25 de maio de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: