Amor

“…Que seja eterno enquanto dure”.

Vinicius de Moraes.

Quando se fala de amor, logo vem a mente, idéia de um casal feliz, desfrutando do prazer que é saber viver o privilégio de mesma linguagem, ou seja, viver o amor na sua totalidade.

Não raras, são as experiências amorosas que fazem os casais apaixonados tenha todo um cuidado, toda uma delicadeza para viver os deleites desse sentimento. A mulher sempre com a imagem ingênua, aliada a doçura para fazer valer o encanto, a delicadeza que a idéia do amor nos remete. Remete porque aprende isso na infância, e portanto, vive guardado na mente humana a perfeição desse sentimento.

Em muitos relacionamentos, é sim possível ali de fato, notar uma realidade entre os casais que vive no prumo. Que não tira dali e põe aqui para consertar os ‘atalhos que se toma na relação. São poucos, mas é possível notar o esforço que muitos fazem para que se viver a pureza de um sentimento que vai além da poesia.

Falar de amor sempre é bom, porque no fundo, o que se deseja é encontrar uma pessoa que seja especial. Não diria perfeita, porque perfeita nem mesmo a história divina é, mas que seja uma pessoa carinhosa, e que dentre outras coisas, saiba ouvir, seja uma espécie de de fonte de inspiração, que saiba cativar do jeito certo. Alguém que faça valer aquilo que se aprende além do que se ouve ler nos livros, ou seja, se deseja beber na fonte… do amor.

” O amor só se dá a si e não tira nada, senão de si ” .

Khalil Gibran.

Amar é maravilhoso quando se percebe que esse sentimento é capaz de transformar de dentro “pra fora”. Quando ele desnuda a alma, nos encaixa com perfeição, com carinho e faz com que nos tornemos pessoas melhores.

O amor ele atravessa as pausas que nasce dele próprio. Diria que os dramas, os ecos e tudo aquilo que nos permite reiventá-lo. O amor tem uma linguagem lúdica, e precisa disso para sobreviver a sua própria ” travessia “. O que muita gente não é capaz de entender é que tudo isso, quando não cultivado acaba. A beleza desse sentimento se perde facilmente ao longo do caminho se deixamos de enxergar a riqueza que há nos pequenos detalhes. Se você opta por vulgarizar a percepção acerca do amor, ele toma novos caminhos.

[…]

O amor, ele vai muito além da projeção narrativa. É por isso que vemos tantas fórmulas mágicas que vendem soluções para se ter um relacionamento feliz. E nota-se que a maioria delas, não funciona. E por que? Porque amor é o cuidado de todos os dias. Não é só mulher que cuida, o homem também. Existe a idéia de que só a mulher tem a obrigação de cuidar. Ledo engano! O amor é um sentimento de mão dupla. E muitas vezes, o sucesso de uma relação depende da maneira de como o casal se relaciona. O amor começa ‘devagarinho’. Primeiro ele, tem face pudica, depois ele revela uma linguagem msis envolvente, que permite os parceiros ” brincar” com a lascívia que nasce a partir de pequenas provocações entre o casal.

Todavia, é preciso falar que o amor vai além se sua própria grandeza. Amar não é resultado, mas sempre uma busca verdadeira. Às vezes, diz o que não pode ser dito, outras vive o que não pode ser vivido. Porém, o amor sempre pode ser compreendido além do que dizem as palavras.

Marii Freire Pereira

Imagem: Google

VEM comigo!

Santarém, Pá 20 de abril de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: