Pablo Neruda

Se você me esquecer

Eu quero que você saiba uma coisa

Você sabe como é isso

Se eu olhar para lua cristalina

No ramo vermelho do outono chegando

Se eu tocar perto do fogo

A cinza impalpável

ou o corpo enrugado do ramo

Tudo me leva a você

Como se tudo o que existe

Aromas, luzes, metais

Fossem pequenos barcos que navegam

em direção aquelas ilhas que esperam por mim

Bem agora, se pouco a pouco você deixar de me amar

Eu devo parar de te amar pouco a pouco

Se de repente você me esquecer

Não olhe para mim

Pois eu já devo ter esquecido você

Se você acha que isso é longo e louco

O vento das bandeiras

Que passa através de da minha vida

Você decide, Mas lembre-se, se você

Deixar me na costa do coração onde criei raízes

Nesse dia, nessa hora

Eu vou cruzar meus braços

E minhas raízes partirão para procurar outra terra.

Mas se, cada dia, cada hora

Você sentir que está destinada pra mim

Com sua doçura implacável

Se cada dia uma flor, escalar até seus lábios a minha

Procura

Lembre-se

Em mim todo esse fogo também existe

Em mim nada é extinguido ou esquecido

Meu amor se alimenta do seu amor

E enquanto você viver, estarei em seus braços

Pablo Neruda, Se você me esquecer

Tradução: Antonio Uila), pensador.com

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Imagem: Uol

Santarém, Pá 17 de abril de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Um comentário em “Pablo Neruda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: