Ariano Suassuna

Sob o sol sertanejo, onça castanha,

O Mundo é uma redoma de diamante.

Ao rubi dos teus peitos chamejantes

A luz do sangue o ventre fulvo banha.

Quem te dotou essa crueza estranha?

A vida passa, o sangue é doido instante!

E eu erro, só, no Campo malandante,

Pela Estrada sem pó desta Campanha.

O Gavião e a Cobra Cascavel

Espreitam dessa Pedra em que ti vagas,

ó Caravela branca, ó ruivo Pente!

E enquanto a Aranha tece, o fogo, o Véu

Vejo facas, anéis, punhais e adagas

atravessando os Ares reluzentes.

Ariano Suassuna, O Exilio

RB Arruda, via Facebook.

VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 16 de abril de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: