Bel-prazer

O bel-prazer é algo que o tempo não perdoa. Você viver a experiência da mudança da forma que quiser, mas se deixar de ter a sensibilidade de reconhecer que foi negligente com o mínimo possível, aquela ‘ batidinha educada ‘ na porta chega trazendo-lhe a fatura. São os ditames da vida, aliás as normas da vida, assim como os os homens têm uma norma escrita, a vida também nos desperta essa consciência de termos regras que naturalmente surgem a medida que fazemos uso da razão. E isso tem que ser assim, tem que seguir, ou seja, seguir o compasso natural de tudo. Lógico que, aquele que se ama, procurar cuidar de si mesmo, assim como das pessoas que tem algum tipo de afeição, de afeto, de amor e respeito.

Se tem uma coisa que a vida é generosa conosco, é saber nos desistalar das nossas certezas. É impressionante, mas essas descem entre os dedos como grão de areia. Você já notou que isso funciona como um filtro? Muita coisa escapa, só fica concentrado uma pequena porção, que se você ficar com a mão aberta, dependendo da força do vento, ele a leva. A vida é assim, quando não aprisiona, esmaga, e quando não esmaga, o vento leva embora.

‘ Ah! Mas…eu….’. Pois é, de fato, é preciso muita sensibilidade do ser humano para aprender a refletir a vida, mas refletir no sentido de observar a interiorização, claro. Estou falando dos pontos frágeis. É essa observação, essa análise que faz com que a gente possa enxergar a si mesmo, dentro desse labirinto que a vida. E exige respostas com precisão o tempo todo.

Sensibilidade, essa palavra carrega consigo um significado íntimo, bonito, e ao mesmo tempo tão precioso, que rara são as vezes que, somos surpreendidos por pessoas que são capazes de fazer aflorar um conjunto de sentimentos, e que nos conduz a ela. É a vida dando aquela chacoalhada necessária. Certamente, isso é para ficar só o que é valioso [ necessário] naquele momento.

[…]

A capacidade de despertar, é fruto da consciência, essa é uma qualidade que nem todo mundo tem. As vezes é mais fácil ensinar os a ser rei de si mesmo, do que ser súdito. É mais fácil ter controle da situação, porque tendo controle, sou capaz de conduzi-la. Ledo engano! O grande encontro de si mesmo, é quando nós achamos.

[…]

Não basta ceder as vontades da vida, é preciso observância.

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 2 abril de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Um comentário em “Bel-prazer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: