Nevoeiro

Nem sei nem lei,

Nem paz nem guerra,

Define com perfil e ser

Este fulgor da terra

Que é Portugal a entristecer –

Brilho sem luz e sem arder.

Como o que o fogo – fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer.

Ninguém conhece que alma tem,

(Que ânsia distante perto chora?)

Tudo é incerto e derradeiro.

Tudo é disperso, nada é inteiro.

Ó Portugal, hoje és nevoeiro…

É a Hora!

Fernando Pessoa.

Imagem: Wikipédia

Publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 12 de março de 202011

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: