Luar

Preciso ver o luar

As estrelas

Ouvir a voz do infinito

Ao relento…

Na mais pura calma.

Silêncio que redimi-me a noite.

Preciso olhar a lua com ternura

Para agasalhar os meus anseios

Eu vi, e me encantei

Com a sua face!

Olha, repara, quantas saudades cabem num olhar?

Quantos risos baixinhos aqui dentro

Cabem em mim?!

Meus olhos são duas constelações

Que se lançam sobre as águas do Mar

Do tormento,

Que se lançam sobre as minhas inquietações.

Respiro fundo…

Pois, simplesmente preciso fazer a travessia

A travessia…

Do infinito de mim mesma.

O frio passa

Passa saudade

Passa tudo.

Menos , o meu suspiro

O ultimo ruído, o último ‘ aí! ‘

O amor renasce no mar

Como a ternura que vive em meus olhos,

Da mesma forma que acaba em meus lábios.

[…]

Preciso ver o luar!

Imagem pública

Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 3 de março de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: