A suave subversão da beleza

Reconcilia os teus olhos sobre a beleza, sobre o que permite encontrar poesia”.

” Só quem tem olhos, ver a beleza além da aparência, ver a beleza da alma.”

Reconcilia o teu olhar sobre aquilo que possível contemplar, sobre a beleza que vai além do exterior. Aqui falo da beleza interior.

Muitas vezes, para vermos beleza é preciso nos desprender de uma série de requisitos. A besta está no instante. Tá no arrepio da pele, na batida do coração, no aperto de mão, no cheiro das flores, no tocar a água com a pontinha dos dedos.

A beleza está na pureza, na manifestação genuína que nos obseca em fração de segundo.

A maneira que você olha para algo determina se ela é bonita ou não. Você pode encontrar vida no abandono (…), a priori, ela está no particular. Na maneira como invento, ou naturalmente ela se manifesta a mim. Geralmente, se valoriza muito a beleza interior por ela está ligada ao caráter, por vir de dentro e se tornar resplandecente pelo lado de fora.

Quem nunca foi afetado pela beleza?

Tem muita gente que é narcisista, obsessivo por perfeições. Mas, não é essa a minha proposta. Aqui, falo de algo com mais consistência, vamos embelezar a mente? Sem truque artificial. Vamos olhar a vida de um jeito requintado!

Sou exigente com a beleza, respeito a questão atribuída a plástica, maquiagem e tantas outras formas de querer ficar bonita. Todavia, falo de uma beleza acompanhada de atitude. Mas, atitude não significa falar palavrão, e sim gestos que dizem muito sobre personalidade e autoestima.

Para se ter beleza, depende do jeito, depende da forma, depende da poesia que se coloca, de coisas não terminadas, porém necessárias (…), em tudo há beleza.

Beleza agrada, floresce…surpreende!

Beleza inspira. E como disse Vinicius de Moraes: ” beleza é fundamental “, mas beleza no sentido amplo, e não no sentido restrito.

O pôr do sol por exemplo, é fascinante. E você acha que ele precisa usar de algum artificio para tomar a sua atenção? Certamente, não. Então, você nota que beleza é alguém que vai além de uma linguagem escrita, ela tem formato próprio. A beleza , ela agrada, nasce da afinidade e morre num piscar de olhos. No contexto geral, ela você no sentido soberano, porém é recepcionado no particular de cada ser humano.

Observação: existe um outro texto com um tema parecido a esse, chama-se : A suave subversão da Velhice. Mas sei que fala acerca da beleza contada de modo real. E a minha proposta é essa, aproximar-se cada vez mais da realidade.

Como disse o poeta Mineiro, Guimarães Rosa: ” O importante é bonito do mundo é isso

….

Saber que as coisas estão sempre mudando”, e assim, podemos contemplar a beleza de diversas formas.

Imagem via: Facebook

Texto publicado por: VEM comigo!

Marii Freire Pereira

Santarém, 27 de fevereiro de 2020.

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Um comentário em “A suave subversão da beleza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: