Janelas da alma

Metaforicamente, existe uma expressão que diz que os olhos são as ” janelas da alma”, porque se compreende que nelas há uma receptividade, há consciência, que nos permite recepcionar tudo que de certa forma, também é um convite à conhecer. E sabe o que é interessante na vida? é encontrarmos pessoas tão preparadas com um nível de qualidade tão bom, tão agradável que nos deixa sempre a vontade. Você já prestou atenção, que temos essa receptividade ? na verdade, uma curiosidade em quer adentrar no seu mundo, no seu universo para conhecr ou conhecê-las um pouco mais.

Há pessoas tão bonitas, tão fascinantes que, nós como seres humanos, chegamos a nos sentir melhor, mais revigorados, estando ao lado delas.

São pessoas que passam confiança, sensação de bem-estar, respeito. Gente de alma leve, nem sempre de ” alma leve”, mas que souberam negociar com os seus conflitos internos, e hoje sabem ser esse modelo de receptividade que a gente fica até com uma certa curiosidade, em querer saber qual é o segredo para que se possa caminhar assim, com sabedoria. Claro, há pessoas muito simples em suas atitudes, assim como há aquelas que vivem em conflito o tempo inteiro, e são trabalhosas no seu jeito de ser, e por isso, acabam se tornando um pouco mais complicado de lidar, porém são pessoas que vivem os seus traumas constantemente , e se parar para observar, são difíceis para elas mesmas. Mas, o importante é manter uma boa relação para que no fundo, nós também, saibamos lidar melhor com os nossos caos.

É engraçado, mas as vezes o barulho que algumas pessoas causam em nossas vida é tão forte, que o desconforto que aquilo nos proporciona causa sequelas terríveis. Claro, somos humanos, não vivemos numa redoma, e a dor surge para todos, mas os erros, hummm!…esses são complicados. Imagine, dizer a verdade nem sempre é fácil. Diria que é quase um desafio. Sim, porque ela machuca, e deve ser por isso que muitos, preferem pegar caminhos secundários(…), que a vida oferece.

O ser humano vive os seus dilemas sempre com aquela sensação que o inconsciente está ali, enviando pequenos sinais, falo a verdade, mas será que tenho a capacidade de carregar o peso da consequência que ela trás?! Você já reparou que a gente ama, não quando diz: eu te amo constantemente!?, mas quando se consegue perdoar inúmeras vezes? Sim, se descobre que ama alguém, depois de olhar nos olhos do outro e perdoar, além do que deveríamos. É quando se descobre que fazemos as coisas certas. Aí, é o ponto alto da questão. É quando termos a capacidade suficiente de sermos melhores. Entenda, aqui não estou dizendo que você tem que perdoar tudo. Não, não é nada disso. Estou dizendo que o amor, ele perpassa por tudo o que você imagina, passa por limites, pelos atritos de modo, que o amor muitas vezes, chega quando se descobre o miséria que mora no fundo dos olhos do outro, e não quando ele é constituído só por conta de palavras, das famosas frases prontas. Definitivamente, não.

O ser humano é assim, age de modo, que tudo o que faz, fica registrado no inconsciente. E aquilo fica de certa forma, incomodando. É quando ascende aquela luz necessária, e que ajuda a sermos melhores, sem nascer daquela situação ou mesmo, a necessidade do abandono. Você observou? Eu estou descrevendo as pessoa que citei logo no início desse texto. Lembras? As pessoas que mais nos ensinam, e ao mesmo tempo, permitem caminhar por seus caminhos, são essas que agregam um valor, em que só teremos a capacidade de experimentar, e oferecer isso, a outro, após aprendermos a lidar com os nossos próprios confrontos. São extremamente conscientes (privilegiadas), em saber reconhecer na crueza da vida, o que é essencial. A maioria de nós, não tem essa capacidade. Então, o que as tornam bonitas são essas atitudes, são pessoas com personalidade que no fundo, até nos educa, porque têm a capacidade de nós tornar pessoas melhores.

É gostoso encontrar pessoas que fazem nos sentir bem, que nos permite olhar por essa janela ( olhos), compreendendo que a beleza verdadeira da vida, encontra-se no caminho. Nem no início, nem no fim. Mas, no cento principal. É como um espiral. Sim, espiral porque você vai de um lado ao outro, mas passando sempre pelo ponto central, compreende?

Que a vida te permita olhar mais por essa janela, e que você encontre sempre bons motivos para apreciar toda beleza que ela te oferece.

Imagem: ( facebook)

Texto: Marii Freire Pereira

Santarém, Pá 15 de fevereiro de 2020

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: