Manuel Bandeira e o Modernismo

Vamos falar de coisa boa? Falar de Manuel Bandeira e a sua contribuição a literatura do final do século XIX!?

Bem, as contribuições de Bandeira foram decisivas a solidificação da poesia modernista, com destaque a língua coloquial e toda a sua irreverência criadora. O trabalho de Bandeira também proporciona uma reflexão filosófica a respeito da condição humana. Muito bom, inclusive, me faz lembrar até mesmo de Machado de Assis que explorou de maneira significativa essa questão. Mas, vamos adiante. Como a poesia passava por uma renovação, o trabalho de Manuel foi uma inovação ao Modernismo, uma vez que teve maior liberdade no sentido de criar. Mas criar no sentido de conseguir avançar, de maneira concreta. Ele fez parte do período anterior, ou seja , primeiro fase do Modernismo e chega até a segunda fase um pouco mais inovador, porque quebrava essa característica severa, trazendo exatamente o oposto, ou seja, a leveza não observada em relação ao trabalho de outros autores, outros colegas do período onde começa o Modernismo. Aqui, nessa nova fase, ele tem uma postura mais despojada, tanto que recebe o reconhecimento como um ‘ dos ‘ escritores mais importantes da [primeira fase do movimento Modernista], porém com esse diferencial de saber conciliar a crítica social com uma reflexão mais aberta, diria que , mais dinâmica, uma vez que ultrapassa a experiência da primeira fase ganha um significado maior exatamente aqui, ao explorar de forma muito mais elaborada outros temas que envolve cultura popular, romantismo, etc. Coisas diferentes que não se destacaram num primeiro momento, como ja foi mencionado. Por exemplo, a ‘ solidão ‘, lá atrás, era trabalhada como uma espécie de ‘ saida’ para problemas da existência. Aqui nesse período, a proposta de Manuel vem cheia com outra cara, vem com paixão pela vida.

Quando se ouve falar de Bandeira, o que vem a mente? Pasárgada!…

Todavia, Pasárgada é um espaço imaginário, criado por fantasias que teve origem, ainda em sua infância. Mas, não para por aí, não. Na verdade existem uma série de contribuição desse autor maravilhoso. Vale a pena conferir.

Imagem: http://www.escritas.org

Comentário: Marii Freire Pereira

Publicado por VEM comigo!

Bacharel em direito, cursando Pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal.

5 comentários em “Manuel Bandeira e o Modernismo

  1. Juntamente com Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Alcântara Machado, Manuel Bandeira fez parte da primeira fase do modernismo no Brasil, que teve início por ocasião da Semana de Arte Moderna de 1922. A chamada “fase heroica”.

    Curtir

    1. Tanto o Mário, quanto o Oswald de Andrade, bem como o próprio Bandeira tiveram a necessidade de criar uma língua literária que tivesse essa aproximação com coisas mais simples, voltadas a cultura popular, vivida em sua época. O Machado já parte para uma análise psicológica dos personagens, quer dizer, ecplora muito essa coisa dos dramas humanos. Muito bom!!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: