Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,

Depois da Luz se segue a noite escura,

Em continuar tristezas a alegria

Porém, se acaba o Sol, por que nascia?

Se é tão formosa a Luz, por que não dura?

Como a beleza assim se transfigura?

Como o gosto da pena assim se fina?

Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,

Na formosura não se dê constância,

E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,

E tem qualquer dos bens por natureza

A firmeza somente na inconstância.

( Gregório de Matos. Poemas escolhidos)

Literatura brasileira.

O Século XVI, foi marcado por grandes contradições, e um nome forte que aparece nessa época é o de Gregório de Matos. Um poeta barroco, tido Como um dos fundadores da poesia lírica e satirica que também denunciou toda forma de opressão daquela época, fazendo duras críticas inclusive, a grupos sociais, governo, etc. E por não ter muito papas na língua também era chamado de ” Boca do Inferno.

Todavia, bem mais do que as contradições , a obra de Gregório era reconhecida por superar as características do próprio barroco.

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: