Escrever

Escrever é um ato prazeroso. Quem escreve, na verdade, age com disfarce sobre aquilo que escreve, sobre o que deseja mostrar, ou seja, denuncia no ato de lançar num pedaço de papel, não a roupa que se deseja usar, mas a capa que lhe serve de proteção. Quem escreve, usa as palavras para compartilhar oContinuar lendo “Escrever”

Amor

Hamlet, tem uma frase muito interessante, onde ele chama a atenção para o caso do homem que é ‘escravo dos seus próprios vícios, dos seus próprios desejos …’ dentre eles, ser “escravo do amor”. Para Hamlet, o homem que não se dobra diante de seus vícios, é um ser que tem domínio de absolutamente, tudo.Continuar lendo “Amor”

Dificuldade

Você já notou que as coisas mais difíceis, no final, acabam sendo prazerosas? Há quem não consiga lidar com situações perturbadoras. Já tem aqueles que gostam, porque interpretam isto, como uma espécie de estímulo. Segundo Einstein, é nas ‘dificuldades que se conhece as oportunidades’. É verdade. O fato de poder pensar, analisar, reagir no sentidoContinuar lendo “Dificuldade”

Poema à boca fechada (Saramago)

Não direi: Que o silêncio me sufoca e amordaça. Calado estou, calado ficarei, Pois que a língua que falo é de outra raça. Palavras consumadas se acumulam, Se represam, cisterna de águas mortas, Ácidas mágoas em limos transformados, Vaza de fundo em que há raízes tortas. Não direi: Que nem sequer o esforço de asContinuar lendo “Poema à boca fechada (Saramago)”