“Que a gente não se perca de si mesmo”.

As vezes é necessário revisitar o passado e fazer uma espécie de organização pessoal para que tudo posso fluir naturalmente. Abrir portas, janelas e deixar um pouco de luz natural, bem como, o vento levar nossas dores, mágoas e tudo o que não encontra espaço para ficar. É isso, precisamos construir novos caminhos. Deixar deContinuar lendo ““Que a gente não se perca de si mesmo”.”

A indiferença pode ser encarada como como uma espécie de morte?

Segundo Freud , a morte seria o mais grave de todos os infortúnios. De todas as misérias, aquela que se revela nua, um convite ao precipício. A morte tem sido um grande mistério, onde muito se tenta explicar, mas a verdade é que ninguém ‘ foi e voltou ‘, para descrever o seu processo. Embora,Continuar lendo “A indiferença pode ser encarada como como uma espécie de morte?”

Desejado como a pureza de cada amanhecer

Assim é o seu amor, Desejável , Doce, Suave como o odor de fêmea prestes a amar. Candura que que se transforma em astúcia na ausência do ser amado. Brinca, pula, e cria a imagem do prazer … Se gritasse Se tocasse Você viria a galope… Não Não quero vulgaridade… Quero o doce O doceContinuar lendo “Desejado como a pureza de cada amanhecer”

Encerrar ciclos:

Recolher – se no silêncio de nós mesmos: -“No rascunho de nossas emoções…” Talvez um dos momentos mais difíceis de nossas vidas seja aquele em que precisamos sacudir o que repousa dentro de nós, para começar a se amar. Para recordar aquilo que somos, e que por algum motivo parece ter se afastado, dilacerado, transformandoContinuar lendo “Encerrar ciclos:”