Mário de Sá-carneiro

Na minha Alma há um balouço

Que está sempre a balouçar

Balouço à beira dum poço,

Bem difícil de montar…

É um menino de bibe

Sobre ele sempre a brincar…

Se a cortar se parte um dia

(E já vai estudando esforçada),

Era uma vez a folia:

Morre a criança afogada…

Se o indez morre, deixá-lo…

Mais vale morrer de bibe

Que de casaca…Deixá-lo

Balouçar-se enquanto vive…

Mudar a corda era fácil…

Tal ideia nunca tive…

Mário de Sá-Carneiro. O receio

Cultura Genial

Marii Freire Pereira

https://pensamentos.me/ VEM comigo!

Imagem: Pinterest. Tendence

Santarém, Pá 13 de Abril de 2021

Publicado por VEM comigo!

Bacharela em direito, Pós graduada em Direito Penal e Processo Penal.

3 comentários em “Mário de Sá-carneiro

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: